h1

Vaidade

22 de setembro de 2010

Olá pessoal!

Achei este texto na internet e achei muito lindo. Creio que muitos se identificarão com ele. Eu mesma me identifiquei e muito…

” Trocamos a cor dos cabelos, damos-lhes o melhor corte, e às vezes somos tão
resistentes em trocar alguns pensamentos, sem notar o quanto nos enfeiam.
Colocamos óculos elegantes, lentes coloridas, mas nem sempre pomos no olhar
um brilho de alegria de viver. Fazemos verdadeiros malabarismos para um rosto mais “bonito” e quase nunca lembramos de que uma expressão serena garantiria mais de meio caminho andado.

Cuidamos dos dentes, “compramos” sorriso, mas bem raramente sorrimos
espontaneamente como o homem simples e sem dentes ou a criança novinha.
Fazemos musculação, ginástica localizada, “correção” de seios, mas com que
pouca freqüência mostramos os reais sentimentos que levamos no peito!

Obedecemos a rígidas dietas para ganhar ou perder peso, para sermos mais
“elegantes”, mas não questionamos se somos uma presença leve e agradável.
Baixamos o guarda roupa, compramos roupas novas, buscamos andar na moda, mas não nos desfazemos de alguns hábitos, costumes e crenças antigas que nada somam ao presente adquirido.

Vamos para outra casa, renovamos a mobília, trocamos de carro, mas
resistimos a mudar por dentro, não tiramos o que está “velho”, não damos
novas direções ao nosso mundo interior.

Mudamos nossas relações, trocamos de amigos e queremos que os amigos mudem
para satisfazer nossas necessidades. Assim prosseguimos perdendo pessoas que
poderiam ser bênçãos em nossas vidas.

Não estará na hora de mudarmos a nós mesmos, mais profundamente, mais
amorosamente, e colhermos de graça frutos de sabedoria que existem à nossa
disposição? Que grande aventura será mudarmos um pouco por dentro toda vez que mexermos no lado de fora! O Universo sempre apóia cada mudança bem feita. Com certeza mudanças são bem vindas e necessárias mas… necessário também que ocorram paralelamente à mudança interna. Será um novo desafio a cada novo dia!

Quantas flores são empilhadas em um funeral e quantas flores a pessoa
recebeu em vida? Prefiro receber uma rosa e uma palavra amiga de um(a)
amigo(a) enquanto estou neste mundo, a um caminhão de coroas de flores
quando eu me for.

Alegria te mantém doce, desafios te mantêm forte, tristezas te mantêm
humano, falhas te mantêm humilde, sucesso te mantém reluzente. Mas, somente
amigos te mantêm em movimento! ” (autoria desconhecida)

Queridos, no livro de Eclesiastes, capítulo 1:2, está escrito: ” Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade.”

Tudo o que se torna exagero ou ocupa a prioridade em sua vida, ou seja, toma o lugar do Senhor na sua vida;  torna-se vaidade. Muitas vezes perdemos tempo nos preocupando com nós mesmos e esquecemos de tudo e de todos ao nosso redor. Não podemos deixar que coisas e que os nosso interesses, venham primeiro que pessoas.

Re-Pense nisso!

h1

Yom Kippur – Dia do Perdão

20 de setembro de 2010

Durante um longo ano comete o homem toda sorte de erros, atropelos, voluntários, involuntários. O processo da teshuvá (arrependimento, retorno ao bem) não poderá realizar-se magicamente em um dia. A tradição judia coloca ao mês de EluI, último do ano, como prefácio para ir preparando o homem para a reflexão profunda, até o grande caminho interior. Cedo, nas manhãs de Elul se ouve o som do shofar: Desperta povo!

Uma semana antes de Rosh Hashaná, também durante a madrugada, se dizem as orações que se chamam “selichot” – perdões). O 1º de Tishrei é o grande dia, a base para um ano novo e um novo ano de vida. Depois seguirão nove dias até o dia do perdão. Dez dias, para aprofundar-se dentro de si, afastar o mal, aproximar o bem. O processo chega a sua culminância no dia 10º de Tishrei : Yom Kipur.

A expiação, Kipur, na raiz hebraica, refere-se ao “que cobre”, ou seja, o castigo que envolve o ato perverso. Tudo o que se pode anular, deter ou parar é o castigo; mas não o ato cometido; esse ato está aí e a única maneira de superá-la é através de uma transcendental modificação da conduta pessoal posterior. Os atos são do homem, seguirão sendo dele, e a conseqüência, sua responsabilidade. Deus pode apagar o castigo, não o ato. O jejum – que acompanha todo o dia do perdão – por sua parte não faz milagre. O jejum do dia não sacrifica nada a favor de Deus, sendo que tal idéia seria eminentemente pagã. O que faz é reconcentrar o homem em seu espírito, afastá-lo, por algumas horas, da servidão do homem ao corpo e a suas necessidades.

Observa-se também que as más ações ou transgressões têm duas polaridades: uma do homem em relação ao homem e a outra, do homem em relação a Deus. A primeira é a da vida diária, exterior, social e inter-humana. A outra, do âmbito da alma, é o segredo da consciência. A primeira é coisa de homens, e os homens têm de resolvê-la: “As transgressões que vão de homem a homem, não são expiadas pelo Yom Kipur, se antes não forem perdoadas pelo próximo.”

Daí que se costuma pedir previamente o perdão de nossos semelhantes, se eles não perdoam, Deus não poderá intervir.

É o dia do perdão – quando Deus perdoa a todo Israel. Durante esse dia, nada pode ser comido ou bebido, inclusive água. Não é permitido lavar a boca, escovar os dentes ou banhar o corpo. Somente o rosto e as mãos podem ser lavados pela manhã, antes das orações. Não se pode carregar nada, acender fogo, fumar, nem usar eletricidade. O jejum não é permitido para crianças menores de 9 anos, pessoas gravemente enfermas, mulheres grávidas e aquelas que deram a luz há menos de trinta dias.

Se uma pessoa enquanto estiver jejuando passar mal, a ponto de quase desmaiar, deve-se lhe dar comida até que se recupere. Se houver perigo de uma epidemia, e os médicos da cidade aconselharem que é necessário comer a fim de resistir à moléstia, exige-se que todos comam.

Existem outras proibições, além daquelas contra trabalhar, comer ou beber. As relações conjugais são proibidas, bem como o uso de perfumes e ungüentos, exceto para fins médicos. Além disso, sapatos e outras peças da indumentária feitas de couro não podem ser usadas no Yom Kipur, pois não se pode usar nenhum material para o qual seja necessário matar um animal.

Após o Yom Kipur, espera-se que haja festa e alegria, não perdendo de vista o fato de que o feriado é um dia santo de júbilo. (Fonte: Wikipedia)

Segundo a tradição, o povo judeu, após ter saído do Egito, fez um bezerro de ouro e o adorou, comportamento proibido pelos mandamentos do judaísmo, que não permite a adoração de imagens.

Moisés, que guiava o povo escolhido pelo deserto, havia subido no Monte Sinai e quando voltou, vendo o que os judeus haviam feito, rezou pedindo perdão a Deus. No dia dez do mês hebraico de Tishrei, os judeus alcançaram o perdão divino.

Para os judeus, esse é um dia em que todas as promessas de arrependimento, amor e amizade são seladas no plano divino. É nesse dia que os judeus têm a chance de se desculparem pelos maus atos e de pedir perdão à pessoa contra a qual cometeu alguma injustiça. Se o pedido for de fato sincero todo mal que foi cometido anteriormente é anulado.

O Yom Kippur é o dia mais solene do ciclo festivo anual. Um dia dedicado à limpeza e recuperação da pureza espiritual através do jejum e celebrações religiosas. (Redação Terra)

Que você possa aproveitar esse dia e Re-pensar  quem você deve perdoar e a quem você deve pedir perdão.

h1

Como Encher-se do Espírito Santo

7 de setembro de 2010

Olá abençoados!

Tenho lido um livro de um autor chamado A. W. Tozer. Para quem não conhece, “Aiden Wilson Tozer nasceu em Newburg (então conhecido como La Jose), Pensilvânia, a 21 de abril de 1897. Em 1912 a família mudou-se da fazenda de Akron, Ohio; e em1915 ele converteu-se a Cristo, entrando imediatamente numa vida de grande intensidade devocional e testemunho pessoal. Em 1919 começou a pastorear a igreja da Aliança em Nutter Fort, em West Virgínia. Também serviu em igrejas nas cidades de Morgsntown, West Virginia; Toledo, Ohio; Indianapolis, Indiana; e em 1928 iniciou seu trabalho na igreja da Aliança em Chicago (Southside Alliance Church). Ali serviu até novembro de 1959, quando tornou-se pastor da igreja Avenue Road em Toronto. Um repentino ataque cardíaco a 12 de maio de 1963 pôs fim a esse ministério e Tozer foi introduzido na glória.”

Gostaria de compartilhar com vocês este texto que mexeu muito comigo. Apesar de ser grande, encorajo-o a lê-lo. Seja impactado como eu fui. Re-pense nisso!

Como Encher-se com o Espírito Santo

Antes de tratarmos da questão de como encher-se com o Espírito Santo, existem alguns assuntos que precisam ser estabelecidos. Como crentes, precisamos tirá-los do caminho e é então que surgem as dificuldades. Tenho medo que meus ouvintes tenham de alguma forma concebido a idéia de que eu conheço uma doutrina sobre como encher-se com o Espírito em cinco lições fáceis, que poderia transmitir a você. Se você tem qualquer noção nesse sentido, só posso dizer-lhe que “sinto muito”, pois não é verdade. Não posso ensinar-lhe esse curso. O que eu digo é que existem certas coisas que precisamos determinar. Uma delas e esta: Antes de ser enchido com o Espírito Santo você deve estar certo de que pode ser enchido.

Satanás tem objetado a doutrina da vida cheia do Espírito mais do que qualquer outra. Ele procurou confundi-la, cercá-la de falsos conceitos e temores e opôs-se a ela. bloqueando todo esforço da Igreja de Cristo para receber do Pai seu patrimônio divino e comprado com sangue. A igreja negligenciou tragicamente esta grande verdade libertadora — que o filho de Deus pode ser agora ungido com o Espírito Santo de maneira plena, maravilhosa e completamente satisfatória.

Você deve então certificar-se de que pode receber esse dom. Deve estar certo de que essa é a vontade de Deus para a sua pessoa; isto é, que o mesmo faz parte do plano total, que está incluído e envolvido na obra de Cristo na redenção; que ele foi, como diziam os antigos, “comprado pelo seu sangue”.

Eu quero fazer uma pausa aqui e dizer que vou referir-me no decorrer deste capítulo tanto ao dom, como ao Espírito Santo em si, e para diferenciar, sempre que me referir ao Espírito usarei maiúsculas no pronome pessoal, pois o Espírito é uma pessoa.

A vida cheia do Espírito não é uma edição especial, de luxo, do cristianismo. Ela faz parte do plano total de Deus para o seu povo.

Fique satisfeito por ela não ser anormal. Admito que não seja comum, pelo fato de haverem tão poucos que andam à luz da mesma ou gozam dela, mas não é um fenômeno. Num mundo em que todos estivessem doentes a saúde seria incomum, mas não anormal. Isto é pouco comum porque nossas vidas acham-se terrivelmente enfermas e muito aquém de onde deveriam estar.

Você deve ficar também feliz porque não existe nada esquisito, estranho ou misterioso a respeito do Espírito Santo. Acredito ter sido obra do demônio cercar a pessoa do Espírito Santo com um halo de estranheza ou esquisitice, de maneira que o povo de Deus sente que esta vida cheia do Espírito e estranha e peculiar, um tanto sinistra.

Nada disso é verdade, meu amigo. Foi o diabo que fabricou essas histórias. Foi ele que as inventou, o mesmo diabo que uma vez falou à nossa primeira mãe: “É assim que Deus disse?” e assim difamou o Deus Todo- poderoso. Esse mesmo diabo caluniou o Espírito Santo. Nada existe de misterioso, nada de estranho, nada contrário às operações normais do coração humano sobre o Espírito Santo. Ele é apenas a essência de Jesus transmitida aos crentes. Quando lê os quatro evangelhos você tem oportunidade de ver como Jesus era maravilhosamente calmo, puro, sadio, simples, doce, natural e digno de amor. Até mesmo os filósofos que não crêem na sua divindade têm de admitir que seu caráter era admirável.Você deve estar certo disto tudo até o ponto de convicção. Isto é,precisa estar convencido a ponto de não tentar persuadir a Deus.

Você não precisa fazer isso de modo algum. Não há necessidade de persuasão. O Dr. Simpson costumava dizer: “Ficar cheio do Espírito é tão fácil quanto respirar; basta inspirar e respirar”. Ele escreveu um hino nesse sentido. Sinto que o hino não seja muito bom, mas a teologia é excelente.

A não ser que tenha alcançado esse ponto em seu modo de pensar, meditar e orar, sabendo que a vida cheia do Espírito foi feita para você, que não há dúvida a respeito — que nenhum livro que tenha lido, sermão que tenha ouvido, ou tratado que alguém lhe enviou o está perturbando; você se sente tranqüilo a respeito disso tudo; está convencido de que no sangue de Jesus, quando ele morreu na cruz, achava-se incluído, como parte da compra feita com esse sangue, o seu direito a uma vida plena, cheia do Espírito — a não ser que se ache convencido disso, a não ser que esteja certo de que não se trata de um acréscimo extra, um item de luxo que você precisa pedir a Deus, suplicando e batendo com os punhos na cadeira para obter, recomendo-lhe o seguinte: não faça nada a respeito a não ser meditar sobre as Escrituras relativas a esta verdade. Leia a Palavra de Deus e aquelas partes que tratam do assunto em discussão, meditando sobre ele, pois “a fé vem pelo ouvir esta Boa Nova — a Boa Nova a respeito de Cristo”. A verdadeira fé não surge através dos sermões, mas da Palavra de Deus, e dos sermões somente no sentido de que são da Palavra de Deus. Recomendo calma e confiança. Não se excite, não desanime. A hora mais sombria é justamente aquela que antecede a madrugada. É possível que esse período de desânimo pelo qual você está passando seja preliminar ao romper de um novo e belo estilo de vida, se continuar caminhando tara conhecer o Senhor.

Lembre-se, o medo pertence à carne e o pânico ao diabo. Jamais tema nem entre em pânico. Quando as pessoas se aproximavam de Jesus só os hipócritas tinham razão para temê-lo. Quando um hipócrita procurava Jesus, Ele simplesmente o cortava em pedaços e o despedia sangrando por todos os poros. Se estavam dispostos a abandonar seus pecados e seguir o Senhor, aproximando-se com sinceridade e dizendo: “Senhor, que devo fazer?”, o Senhor lhes dava todo o seu tempo, conversando com eles e explicando, a fim de corrigir quaisquer impressões falsas ou idéias erradas que tivessem. Ele é o Mestre mais doce, mais compreensivo e maravilhoso do mundo, e nunca põe ninguém em pânico. Só o pecado faz isso. Se houver um senso de pânico em sua vida, pode ser que haja pecado nela e precisa libertar-se do mesmo.

Assim sendo, antes de você poder ser enchido com o Espírito deve primeiro sentir esse desejo. Surge aqui um pouco de confusão. Alguém pode perguntar: “Como pode dizer que é preciso querer esse dom, quando sabe que tal desejo já existe? Não falamos com você pelo telefone? Não estamos aqui hoje para ouvir o sermão sobre o Espírito Santo? Tudo isso não indica muito bem que desejamos ser cheios do Espírito?”

Não necessariamente, e vou explicar o porquê. Por exemplo, está certo de que deseja ser possuído por um outro espírito além do seu? Mesmo que esse espírito seja o puro Espírito de Deus? Mesmo que seja a própria essência da gentileza do amável Jesus? Mesmo que seja sadio, puro e livre? Mesmo que seja a sabedoria personificada, a própria sabedoria, e que tenha um ungüento precioso e com poder para curar? Mesmo que seja tão amoroso quanto o coração de Deus? Esse Espírito, se vier a possuir você, será o Senhor da sua Vida!

Pergunto então: você quer que Ele seja o Senhor de sua vida? Sei que deseja os seus benefícios. Tenho isso como certo. Mas quer ser possuído por Ele? Quer entregar as chaves de sua alma ao Espírito Santo e dizer: “Senhor, daqui por diante não tenho mais sequer a chave de minha própria casa. Entro e saio conforme suas ordens”? Está preparado para entregar ao Senhor o escritório de sua empresa, a sua alma, e dizer a Jesus: “Esta cadeira é sua, use os telefones e tome conta do pessoal, sendo Senhor desta firma?” É isso que estou querendo indicar. Está certo que deseja isso? É isso que quer?

Está certo que deseja ver sua personalidade dirigida por Alguém que irá esperar obediência à Palavra escrita e viva? Que ela seja dirigida por Aquele que não tolera os pecados do “eu”? Por exemplo, amor-próprio, egoísmo. Não se pode ter o Espírito Santo e amor por si mesmo a um só tempo, seria como praticar a pureza e a impureza em conjunto e num só lugar. Ele não permitirá que você seja autoconfiante, auto-suficiente. Amor-próprio, autoconfiança, auto-retidão. auto-admiração. auto-exaltação e autopiedade são proibidos pelo Todo-poderoso, e Ele não pode enviar seu poderoso Espírito a fim de possuir o coração que abriga tais sentimentos.

Quero perguntar também se você deseja ver a sua personalidade absorvida por Alguém que se destaca em franca oposição à vida fácil do mundo. Nenhuma tolerância do mal, nada de rir das anedotas obscenas, nada de tratar como triviais as coisas que Deus odeia. O Espírito de Deus, quando toma posse, irá fazer com que você se oponha ao mundo da mesma forma que Jesus. O mundo crucificou Jesus porque não podia suportá-lo! Havia algo nEle que os censurava e o odiaram por isso, acabando por crucificá-lo. O mundo odeia o Espírito Santo tanto quanto odiou Jesus, Aquele de quem Ele procede. Você tem certeza, irmão? Sei que quer a ajuda dEle, quer muitos dos seus benefícios; mas está disposto a acompanhá-lo em sua oposição às transigências do mundo? Caso não esteja, não peça mais do que já tem, porque você não O quer, só pensa que deseja isso!

Por outro lado, está certo que precisa ser enchido? Não pode continuar como está? Você tem uma vida boa. Ora, lê a Bíblia. contribui para os trabalhos missionários, gosta de cantar hinos, agradece a Deus por não beber, nem jogar ou ir a teatros ou cinemas, por ser honesto e por fazer devocionais em sua casa. Está contente com tudo isso. Não pode continuar assim? Acha que precisa mais do que isso? Quero ser justo com você. Quero fazer o que Jesus fez. Voltou-se para aqueles que o seguiam e lhes falou a verdade. Não quero enganá-lo com falsas pretensões. “Estão certos de que querem seguir-me?”, perguntou Ele e muitos o abandonaram. Mas Pedro exclamou: “Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras da vida eterna”. E os que não se afastaram foram os que fizeram a história. Os que não se retiraram foram aqueles que se acharam a!i quando o Espírito Santo veio e encheu o lugar onde estavam reunidos. A multidão que foi embora jamais soube o que aconteceu.

Mas talvez você sinta em seu coração que não pode continuar como está, que o nível de espiritualidade a que se sente chamado está ainda muito além de onde se encontra. Se sente que existe algo que precisa ter, a fim de que seu coração possa satisfazer-se, que existem níveis de espiritualidade, profundezas e alturas místicas de comunhão espiritual, pureza e poder que você desconhece, que existe fruto que você deveria produzir e não produz, vitória que sabe deveria alcançar e não alcança — eu então diria: “Venha”, pois Deus tem algo para lhe dar hoje.

Existe uma solidão espiritual, um isolamento interior, um lugar íntimo aonde Deus leva aquele que busca, onde ele fica tão só como se não houvesse outro membro da igreja em qualquer outra parte do mundo. Ah! quando você chega ali. existe uma escuridão mental, um vazio no coração, uma solidão na alma, mas é como se fosse uma preliminar da alvorada.ÓDeus, leva-nos de alguma forma ao romper do dia!

Eis aqui como receber. Primeiro, apresente o seu corpo a Ele (Rm 12:1,2). Deus não pode encher aquilo que não possui. Pergunto então: Você está pronto a apresentar seu corpo com todas as suas funções e tudo o que ele contém — sua mente, sua personalidade. seu espírito, seu amor, suas ambições, tudo enfim? Esse é o primeiro passo. Um ato simples e fácil — a apresentação do corpo. Está disposto a isso?

A segunda coisa épedir (Lc 11:9-11), e ponho de lado todas as objeções teológicas a este texto. Elas dizem que não se aplica hoje. Por que então o Senhor o deixou na Bíblia? Por que não o colocou em outro lugar; por que o deixou onde eu o pudesse ler se não queria que cresse nele? Tudo é para nós, e se o Senhor quisesse, poderia dar-nos sem que pedíssemos, mas Ele prefere que pecamos: “Peça e eu darei”, é sempre a ordem de Deus. Por que não pedir então?

Lemos em Atos 5:32 a terceira coisa a ser feita. Deus dá o seu Espírito Santo aos que lhe obedecem. Você está disposto a obedecer, fazendo o que lhe é ordenado? O que seria isso? Simplesmente viver de acordo com as Escrituras, da forma como as entende. Simples, mas revolucionário.

O passo seguinte é ter fé (Gl 3:2). Nós O recebemos pela fé, como recebemos o Senhor na salvação pela fé. Ele vem como um dom de Deus a nós em poder. A princípio numa certa medida quando somos convertidos; de outra forma não poderíamos ser convertidos. Sem Ele não poderíamos nascer de novo, pois nascemos do Espírito. Estou porém falando de algo muito diferente agora, um avanço além desse ponto. Estou me referindo à vinda dEle e à sua possedo corpo, da mente, da vida e do coração do indivíduo; tomando para si a sua personalidade, com gentileza, mas diretamente, a fim de que se torne a habitação de Deus através do Espírito.

Vamos supor agora que cantemos. Vamos cantar O Consolador Veio, porque Ele realmente veio. Se não veio em toda a plenitude ao seu coração, Ele o fará; mas Ele veio à terra. Está aqui e preparado, quando apresentarmos nosso vaso, para enchê-lo, se pedirmos e crermos. Você vai fazer isso?

h1

I Timóteo 6:7-8

24 de agosto de 2010

Olá pessoal!!!!

Quanto tempo sem escrever…

O desânimo tentou me pegar, fiquei com preguiça de escrever, de orar, de compartilhar…

Mas hoje, me deu vontade de falar o que Deus tem falado comigo. Glórias a Ele que nunca se afasta de nós.

Estava lendo as cartas de Paulo a Timóteo e realmente, muita coisa me fez pensar. Principalmente o versículo 7 do capítulo 6 de I Timóteo:

” Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele.”

Eu não sei o que você tem, qual a sua condição social, se tem um ou dois carros, ou não tem nenhum; se tem muito ou pouco dinheiro; se tem jóias ou objetos de valor; se tem roupas de marca ou nunca teve, isso eu não sei.

Eu não sei se você tem alegria ou se tem tristeza; se tem uma doença grave ou uma leve doença ou não tem nenhuma; se tem marido ou namorado, ou nenhum dos dois, isso eu não sei.

Eu não sei se você gosta de sorvete, chocolate, coca-cola, ou chiclete, se gosta de  internet, jogar bola, ver TV, ir no cinema, se gosta de cantar, dançar, correr, pular, nadar, isso eu não sei.

Eu não sei se você hoje sofre porque perdeu alguém, ou por que tem um parente ou amigo doente, ou porque perdeu o emprego, isso eu não sei.

Mas eu sei que você nasceu sem nada disso. Você veio ao mundo sem nada. Você veio sem roupa, sem carro, sem saber nem mesmo o que era um chocolate, ou um chiclete; e se você tem pelo menos 30 anos, nem sonhava com internet.

Pense que tudo vai passar. Nada aqui neste mundo é eterno. Tudo o que temos, foi adquirido. Não trouxemos nada, exceto o fôlego de vida do nosso querido Deus. E é isso o que importa. A vida de Deus dentro de você.

É  Ele que te faz superar toda dor, todo sofrimento. É porque Ele permitiu, que você conseguiu conquistar tudo o que você tem hoje.

O versículo 8, completa dizendo: “Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes.” Ou seja, é o mínimo que precisamos.

Nesses dias, esteve muito frio por aqui e eu pensei muito nesse versículo. Eu não precisava de mais nada, exceto uma boa cama e um bom cobertor. Coisa pouca, mas muitos não tem. Isso encheu meu coração e realmente eu me alegrei com o cuidado do Senhor comigo. Ele é o meu sustento.

Que você possa estar Re-Pensando no que você tem e que lembrando que nada, absolutamente nada, quer seja bom, ou ruim, útil ou supérfluo, nada disso podemos levar para onde vamos: a eternidade junto ao Pai Celestial.

h1

Ainda sobre a árvore…

25 de maio de 2010

Olá pessoal,

Precisava voltar aqui para escrever o que aconteceu nesta semana.

O post anterior, sobre o corte da árvore tinha me deixado um tanto quanto confusa. Não sabia se deveria tê-lo colocado. Mas na semana em que o coloquei aqui, eu li num blog de um amigo um versículo que falava exatamente sobre a árvore. Então isso me encorajou a colocar o texto. Talvez o texto tenha ficado um pouco confuso, não sei…Acho que não consegui expor minhas idéias da forma que deveria.Mesmo assim, espero que você tenha compreendido o sentido do que quis passar.

O fato é que, mesmo depois de ter postado o texto aqui, ainda fiquei meio preocupada achando que poderia ser algo da minha cabeça. Mas um amigo colocou um comentário que achei bem interessante e me deixou um pouco mais tranquila. Se quiserem, podem confirmar o comentário do Felipe Fernandes sobre o texto.

Ainda na mesma semana, ocorreu um fato bem interessante, e é sobre ele que eu quero compartilhar. Na semana ainda do post publicado, prá ser mais exata, no sábado, acordei com um barulho muito grande aqui na minha rua. Parecia barulho de serras elétricas. Olhei da janela, e nem acreditei quando eu vi: a prefeitura estava CORTANDO UMA ÁRVORE bem aqui do lado da minha casa. Levantei rapidinho para observar todo o processo de perto.Sinceramente, não tenho mais dúvida alguma de que era Deus falando e confirmando. Várias vezes tentamos acionar a prefeitura para cortar a árvore do nosso passeio, e eles demoram horrores para nos atender.

Mas como vocês sabem, precisa de autorização para se cortar ou podar uma árvore. A árvore do passeio do vizinho estava morrendo.Então, eles vieram cortá-la. Isso me fez lembrar do verspiculo que li no blog do meu amigo que diz: ” O machado já está posto à raiz das árvores, e toda árvore, pois, que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo.” (Mateus 3:10). E durante todo o tempo fiquei observando o trabalho dos funcionários da prefeitura. Cortaram exatamente como o processo que descrevi no texto.

A árvore morta, em seu lugar, não serve pra mais nada. Não dá fruto, não dá sombra. Era o caso da árvore do vizinho. E além de tudo, suas raízes cresceram tão rápido e com tanta força, que destruiu todo o passeio, inclusive já estava destruindo  o nosso. Como eu disse, somos comparados à árvore. E tem árvore que é assim: cresce tão rápido, com tanta força, que acaba destruindo o “passeio dos outros. ”  Aquela árvore era tão verdinha, com uma copa tão grande e tão redonda, que tampou toda a placa do quebra-mola, tampou a visão da rua. Vários carros que passavam, não viam o quebra-mola. E tem árvore que é assim: cresce tanto que toda a atenção é voltada para ela; impede de ver outras coisas tão importantes, os sinais que estão ali para nos avisar de algo. E sabe o que mais? Depois que aquela árvore foi cortada, agora, além de podermos enxergar as placas com facilidade, podemos ver mais claramente o azul do céu, e outras coisas que a árvore nos impedia de ver. Algumas árvores podem te impedir de ver as coisas.

Mas eu observei que quando eles colocavam os galhos da árvore no caminhão, os galhos mais difíceis eram os galhos secos da árvore. Galhos secos não se dobram, se quebram. Porque estão “acostumados” a manter a mesma posição. Se recusam a mudar de posição, ficam estáticos, imóveis, paralisados. E ainda machucam as pessoas. Os galhos verdes de outras árvores que foram podadas, eram mais fáceis de serem colocados, porque se dobravam com facilidade, ainda que estivessem cortados.

Re-Pensando:  Por isso o salmo 1 diz que o homem que confia no Senhor será bem-aventurado “Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.” Precisamos ser uma árvore boa, que dá bons frutos; que ainda que dê boa sombra, não tampa a visão de ninguém; que tenha galhos maleáveis, que não se quebram facilmente.

Espero que tenham compreendido.

Deus abençoe!

h1

O Processo de corte da árvore

18 de maio de 2010

É interessante como Deus usa as coisas simples para comparar ao homem ou à vida do homem aqui na terra. Ele usa de exemplos de coisas que podem ser encontradas em todo lugar do mundo. E em algumas passagens da bíblia, Deus compara o homem à árvore. No salmo 1 e em Jeremias 17, diz que  “bem aventurado é o homem que confia no Senhor,porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto.”

Como Deus é sábio, não é mesmo? Um exemplo tão simples, de uma árvore, que tem em todo lugar do mundo. Estive meditando sobre a passagem de Jó 14:7 que diz: ” Porque há esperança para árvore, pois, mesmo cortada, ainda se renovará…” Isso me levou a estudar um pouco mais sobre as árvores.

A árvore é uma planta estável, firme que vive muitos anos, podendo variar o tempo de vida de acordo com cada espécie. Existem vários tipos de árvores e cada uma delas com características específicas. árvores coníferas ou resinosas fornecem madeiras moles, enquanto as árvores folhosas produzem madeiras duras. São necessários muitos anos para que uma árvore produza uma madeira que seja aproveitável, variando a época de corte segundo a sua espécie e o uso que se pretende dar à ela.

Mas o que eu queria compartilhar aqui é sobre o processo do corte de uma árvore. Não da poda, mas o corte direto ao tronco. Você sabe como é feito o corte de uma árvore?

Assim como a árvore, nós também precisamos passar pelo processo do corte na nossa vida. A primeira coisa a ser analisada é a situação em que a árvore se encontra. Existem árvores que precisam de um cuidado especial para serem cortadas. Elas estão tão emaranhadas em cipós que as unem uma com as outras, que pode fazer com que no momento do corte, derrubem várias outras árvores que nada têm com isso. Você pode entender? Pessoas podem estar tão ligadas umas às outras, que em situações tão complicadas, podem cair e derrubar outras consigo.Para isso é necessário que se corte os cipós primeiro. É necessário resolver as situações complicadas primeiro.

Eu pesquisei e encontrei que para se cortar uma árvore, abre-se primeiro, uma fenda no tronco, do lado onde ela deverá cair. Em seguida, outro corte é aprofundado do lado oposto. Assim, o tombamento da árvore obedece a uma direção predeterminada, evitando acidentes de consequências graves. É necessário que se faça uma fenda no nosso tronco, naquilo que teoricamente nos mantém de pé. Talvez seja um cargo importante, ou um bem material, ou uma pessoa que ocupa um lugar especial na nossa vida, ou nossos dons…  E assim, o Criador, aquele que fez a árvore, precisa agora, fazer o corte. Mesmo assim, ele faz isso com cuidado para que a árvore não se machuque, não sofra acidentes de consequências graves.E quando essa “velha e experiente” árvore cai, o lenhador ainda se preocupa com as pequeninas e frágeis plantas menores que crescem ao redor. Neste caso, podemos dizer que estas pequeninas plantinhas são as pessoas novas na fé. O corte de uma árvore mais velha, não pode interferir no processo de desenvolvimento de outras mais novas. Além de todo esse cuidado no momento da queda, o lenhador sabe que eventuais danos diminuem o valor comercial e utilitário da madeira. Você tem um valor especial para o Lenhador, ainda que esteja cortado. Isso não é bom?

Com a árvore já tombada, o Lenhador passa então, ao corte da copa e dos galhos e a divisão do tronco em toras. Nesse momento pode parecer que toda beleza e força da árvore já não exista. é assim que você se sente? Você está passando por uma situação por um momento onde parece que já não há mais beleza, devido aos cortes sofridos em sua vida? Pois é assim que eu me sinto muitas vezes. Mas veja: ainda há esperança.

Após o corte da árvore, é necessário que se faça o transporte das toras. E esse transporte geralmente é feito por vias naturais, nos leitos dos rios. Nas águas, o tronco desliza livremente impulsionado pela força da corrente de águas. Ele fica acima das águas. Saiba que para passarmos para um próximo passo, um outro nível, apesar dos cortes, podemos deslizar livremente sobre as águas, sem os possíveis galhos que poderiam nos fazer parar, ou dificultar o trajeto nas águas. E quanto mais forte a correnteza, mais rápido chegaremos ao destino final. Sempre acima das águas.

Agora aquela árvore tão bonita e forte, já não é mais uma árvore. É apenas um tronco. A beleza de suas copas já não existem. Mas agora, passará por um outro processo, também doloroso, que é o tratamento da madeira. Ela será aquecida, lixada, cortada mais um pouco até que seja transformada em algo totalmente diferente, mas com utilidade. Imagine quantas coisas a madeira pode se transformar? Vale a pena todo o processo.

Re- Pensando: Você está disposto a passar pelo processo de corte da árvore ou você já está passando por ele? Saiba que por mais doloroso que seja o processo , o trabalho do lenhador será sempre necessário e doloroso. Mas aquela árvore se tornará algo de grande utilidade e digno de ser elogiado.

h1

O Anel de selar

29 de abril de 2010

Olá pessoal!

Estamos vivendo numa era de modernidade na comunicação. São vários meios de nos comunicarmos de formas rápidas e simplificadas, como os sites de relacionamentos como o twitter, msn ou orkut; ou as mensagens de texto por telefone celular como SMS ou torpedos. É o caso das promoções via sms, por exemplo. Basta enviar apenas uma única palavra e pronto: seu saldo de créditos pode ficar completamente comprometido.

Mas isso não foi sempre assim. A comunicação escrita era um meio muito importante na antiguidade, pois as leis eram divulgadas através das cartas.  Estas cartas podiam ser enviadas por intermédio de outra pessoa, chamadas de mensageiros, ao seu destinatário.  O mensageiro podia tanto entregar a carta, como poderia também ler a mensagem escrita , ou seja, dar o recado ao povo. Imagine só a responsabilidade do sujeito!

As cartas precisavam ser seladas com o anel do rei. A figura desenhada no anel real fazia o papel de selo da carta, pois este anel simbolizava poder e autoridade. Era a confirmação de que a carta era importante e verdadeira.

Nos primórdios da entrega das cartas quem pagava a postagem era o destinatário e isso só se alterou com a criação dos selos, quando se passou a, previamente, o remetente colocar na sobrecarta (envelope) a quantidade de selos correspondente ao porte (valor da tarifa de serviço), garantido assim a entrega da carta ou a sua restituição no caso de não ser encontrado o destinatário.

Com o passar do tempo,  foi necessário estabelecer os correios(que em hebraico significa ‘os que correm’) para levar as cartas. O império persa foi o primeiro a estabelecer o sistema de correios. Eles possuíam autoridade para requisitar cavalos, portadores e alimentos entre as populações civis que aparecessem em seu caminho durante o serviço público.

Mas o que eu quero que você saiba, é o que está escrito no livro de Ageu capítulo 2, no verso 23: “Naquele dia, diz o SENHOR dos Exércitos, tomar-te-ei, servo meu, diz o SENHOR, e far-te-ei como um anel de selar; porque te escolhi, diz o SENHOR dos Exércitos.”

Você é importante para Deus. Você carrega a autoridade e o poder que o Rei te deu. Você pode entender? Você é o anel de selar de Deus, nosso Rei. Você pode transmitir a verdadeira mensagem de Deus às outras pessoas. Você é o selo da carta! Sem o selo, a carta (a mensagem) não chega. Você tem o verdadeiro valor. E assim como relatei anteriormente, o selo já foi pago pelo remetente. O destinatário (aquele que recebe a mensagem) não precisa pagar nada para recebê-la.

Declare a Palavra de Deus na sua vida e na vida de outras pessoas também. Espalhe esta notícia preciosa que é a mensagem da cruz. E assim como na antiguidade a palavra do rei tornava-se decreto que não se podia revogar,  ou seja, lei que precisava ser cumprida e não podia voltar atrás ao ser selada com o anel real, assim será com toda palavra que sair da sua boca.

“Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei.” (Isaías 55:11)

Re -Pense nisso: “Eu sou o anel de selar de Deus, meu Rei.”